BLOGDermatologia

Qual a relação do colágeno com o envelhecimento da pele?

O colágeno é a proteína mais abundante no organismo e tem como principal função, manter a resistência e a elasticidade da pele, dos ossos, dos músculos, dos tendões e dos ligamentos, evitando fraturas, distensões e rompimentos nessas estruturas.

 

Presente no organismo desde o nascimento, a produção dessa substância começa a diminuir o por volta dos 25 anos de idade, principalmente nas mulheres. É nessa etapa da vida que começa a atividade de uma enzima que degrada as fibras de colágeno e a elastina, iniciando o processo de envelhecimento. Após os 50 anos, o corpo perde em um ritmo maior essa proteína. É nessa fase que surgem rugas profundas, sulcos, flacidez e alteração no contorno da face.

Fatores que estimulam a perda de colágeno

O consumo exagerado de açúcar, a exposição ao sol sem proteção e até mesmo o estresse podem acelerar a perda de colágeno. O tabagismo também contribui com esse processo. Isso porque, quem tem o costume de fumar possui menos fibras colágenas na pele e ainda está mais suscetível ao envelhecimento precoce. Além disso, há diminuição dos níveis de Vitamina C, o que gera radicais livres que destroem e impedem a formação de novas fibras de colágeno.

 

Efeitos da perda de colágeno

Os efeitos da perda de colágeno são mais sentidos nas mulheres, pois, além de apresentar uma quantidade dessa proteína menor que os homens, o público feminino sofre com a questão hormonal. A deficiência de hormônios sexuais, como o estrógeno e a testosterona, e de hormônio do crescimento, que ocorre por volta dos 45 anos, reduz a produção das células que produzem colágeno. Sem elasticidade dos tecidos, o sangue não percorre na mesma velocidade e fluxo, reduzindo o aporte sanguíneo para as células, a pele e as glândulas sebáceas.

 

É possível diminuir a perda de colágeno?

Apesar da perda de colágeno ser um processo natural, é possível retardar sua redução e manter a pele jovem por mais tempo. Para prevenir o envelhecimento, o câncer da pele, manchas e a perda do colágeno, o primeiro passo é evitar a exposição solar, principalmente sem proteção.

 

Os raios solares destroem as fibras colágenas por meio de um processo denominado elastose solar, deixando a pele mais fina, amarelada, com vasos e poros dilatados, além de estimular o aparecimento de rugas.

 

Além disso, o colágeno pode ser reposto no organismo por meio da alimentação equilibrada. Os alimentos de origem animal, como as carnes, principalmente as vermelhas, são excelentes fontes de proteínas e colágeno. Invista também em alimentos ricos em Vitamina C como laranja, limão mamão,gelatinas, ovos e castanhas.

 

Porém, somente a alimentação não é capaz de fornecer a quantidade ideal dessa proteína, principalmente após os 30, 40 anos. Nesses casos o uso de dermocosméticos pode ajudar. Os produtos mais usados são aqueles que contém ativos como o Retinol e alfa-hidroxiácidos. Também existem os tratamentos estéticos voltados ao rejuvenescimento da pele que incentivam a produção de colágeno.

 

Os mais comuns são:

 

1) Peeling químico
Técnica usada para tratar de rugas profundas, olheiras, lesões provocadas por acne e manchas na pele. É feito por meio da aplicação de um produto químico que esfolia a pele resultando no surgimento de células novas, promovendo o aumento das fibras de colágeno e o clareamento da pele.

 

2) Ácido polilático
Essa substância é usada para o preenchimento facial, melhorando os contornos do rosto. O ácido, que é aplicado através de injeções, é considerado bioestimulador, o que contribui de maneira significativa para a produção do colágeno.

 

3) Laser de CO2 fracionado
Trata-se de uma técnica muito usada para eliminar ou reduzir cicatrizes provocadas por acnes, suavizar as rugas, diminuir a flacidez e tratar das olheiras. Esse laser remove a camada superficial da pele promovendo a produção de células novas. Além disso, preserva a pele saudável e incentiva a produção de colágeno.

 

4) Radiofrequência
Os tratamentos que utilizam a radiofrequência também são importantes para a produção da substância. Isso porque a técnica gera ondas de calor que aquecem os tecidos e estimulam a criação de novas fibras de colágeno.

 

5) Luz intensa pulsada
Essa técnica trata a pele que sofre alteração da pigmentação com o passar do tempo, que apresenta manchas causadas pelo sol ou com excesso de sardas. A luz intensa pulsada (LIP) atinge diversos comprimentos de ondas e, assim como o laser, gera calor, o que ajuda na formação do colágeno e diminuição da flacidez.

 

6) Microagulhamento
A técnica utiliza um dispositivo com inúmeras microagulhas para tratar cicatrizes, estrias, rugas e manchas na pele. O procedimento estimula o crescimento de elastina e colágeno no organismo.

 

É fundamental lembrar que essas técnicas devem ser realizadas por um dermatologista capacitado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *