BLOGDermatologia

Melatonina para dormir: você já ouviu falar?

Cérebro humano post sobre melatonina

Que dormir é essencial para uma vida saudável você já sabe, não é mesmo? E um dos responsáveis por controlar nosso ritmo de sono e vigília é a melatonina, um hormônio produzido naturalmente pelo corpo. Conhecida também como “hormônio do sono”, essa substância é produzida pela glândula pineal quando há redução da luz, para que o organismo compreenda que está chegando a hora de dormir. O pico de melatonina acontece durante o sono e seu nível cai no início da manhã, sinalizando que é hora de acordar.

 

Muitas pessoas não sabem, mas a liberação da melatonina acontece em ambientes escuros. Abajures, celulares, televisores e outros aparelhos eletrônicos podem reduzir ou atrasar a produção natural desse hormônio. Um grande problema está na luz azul que é emitida por celulares e computadores.
Por isso que é tão importante dormir na escuridão completa e diminuir gradativamente o uso de eletrônicos conforme o horário de dormir se aproxima.

 

 

O sono de qualidade é um problema para brasileiros

 

De acordo com a Associação Brasileira do Sono, 40% da população sofre de algum distúrbio do sono, que leva a inúmeras conseqüências: dificuldade no controle do peso, funcionamento do metabolismo, redução do desempenho físico, alterações de humor, memória, prejudicando a imunidade, elevando a pressão arterial e muito mais.

 

Algumas pessoas têm deficiência na secreção desse hormônio, ou até mesmo não produzem adequadamente por causa do estilo de vida. A idade por exemplo, pode ser um grande fator de influência. Conforme envelhecemos, a secreção noturna de melatonina começa a sofrer um declínio. Uma pessoa de 70 anos, apresenta níveis noturnos de hormônio do sono mais baixos que durante sua juventude.

 

A cegueira também pode interferir com a produção natural do hormônio do sono. Pessoas cegas que não conseguem detectar a presença da luz do dia podem ter uma produção de melatonina desregulada. Quanto mais grave é a deficiência visual, maior é o risco de transtornos do sono.

 

Já é comprovado que o individuo que não produz melatonina nos seus níveis normais, tende a ter dificuldades para dormir ou para se manter dormindo durante toda a noite, ou seja, tem seu ritmo circadiano de sono e vigília prejudicado.

 

O ciclo circadiano designa o período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos, sendo influenciado principalmente pela variação de luz, atividade corporal e temperatura entre o dia e a noite.

 

 

Como funciona a suplementação de melatonina?

 

Os estudos científicos controlados demonstram que nem toda insônia é provocada por uma deficiência na produção de melatonina e, portanto, a maior parte dos casos não terá melhora com a suplementação desse hormônio.

 

Apesar de ser vendida livremente em muitos países da Europa e também nos Estados Unidos como “suplemento”, no Brasil só é produzida sob prescrição médica em farmácias de manipulação. Afinal, a melatonina não é vitamina, não é suplemento, é um hormônio e exige cuidados e atenção no seu uso.

 

 

Quando a suplementação de melatonina é indicada?

 

Antes de iniciar a suplementação, necessitamos de uma completa avaliação: precisamos entender sua rotina, hábitos e preferências de sono. É importante também avaliar sua rotina durante o dia, pois ela pode trazer sérias consequências ao seu sono.

 

Quando a dificuldade para dormir está ligada a fatores como ansiedade, estresse, problemas hormonais, precisamos primeiramente abordar e melhorar essas situações.

Por outro lado, quando há uma alteração da produção natural da melatonina, como em idosos, no espectro autista, cegas ou mo jet lag durante viagens, a utilização do hormônio pode ser considerada. Mesmo assim, é necessário avaliar caso a caso.

 

As indicações para o uso de melatonina são:

 

Mudança de fuso horário

A melatonina pode ajudar pessoas que viajam longas distâncias, com troca de fuso horário. Isso porque, nosso corpo demora em média 3 a 7 dias para se adaptar a um novo horário. Seu uso pode auxiliar o organismo a reequilibrar este ciclo de forma mais rápida.

Trabalhadores noturnos

A melatonina também ajuda os trabalhadores noturnos a “informar” ao cérebro o momento correto para dormir.

Além disso, estudos têm demonstrado que a melatonina pode ser eficaz em outras duas situações:

Síndrome do atraso de fase do sono: um tipo de distúrbio que faz com que o paciente demore muito para dormir e no dia seguinte tenha dificuldade de acordar e ser produtivo na parte da manhã.

Ela não deve, em hipótese alguma, ser administrada sem orientação médica. Importante ressaltar que ela não é uma droga milagrosa contra a insônia, e mesmo nos casos indicados deve ser associada à reavaliação de hábitos. Você já ouviu falar em higiene do sono?

 

Se você sofre com problemas de sono, converse com seu médico sobre isso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *