Otorrinolaringologia

Sono da Mulher

Academia, trabalho, estudos, cuidados com a casa, com os filhos, com a saúde, vida social… Essas são apenas algumas das inúmeras atividades que normalmente preenchem o dia da mulher moderna. Uma rotina atarefada que pode tornar-se um perigoso gatilho para o estresse e a ansiedade, principalmente na ausência de períodos saudáveis de sono. No entanto, esse momento de descanso é fundamental para a saúde feminina. Por isso, no blog de hoje, vamos conversar sobre o sono da mulher.

É durante a noite que as células descansam, se renovam, organizam suas funções e se reequilibram das demandas do dia.

É durante o sono também, que temos produção de hormônios, como testosterona e leptina (responsável pelo controle do nosso apetite) organização e fixação da memória, regulação dos anticorpos e imunidade.

 

O sono da mulher nas diferentes fases da vida

 

As variações hormonais que acontecem nas diferentes etapas da vida feminina podem influenciar diretamente a qualidade do sono. Na fase reprodutiva, por exemplo, os ciclos menstruais irregulares podem prejudicar as noites bem dormidas.

 

Já a menopausa aumenta as chances de sofrer com insônias ou apnéia do sono, devido a redução dos hormônios femininos no organismo. Calcula-se que 60% das mulheres enfrentam a insônia durante o climatério. As ondas de calor da menopausa também têm sua parcela de culpa, pois os calorões noturnos seguidos de calafrios atrapalham o sono.

 

As noites mal dormidas desencadeiam cansaço, desânimo e o ganho de peso, pois acordar cansada e irritada compromete o funcionamento de hormônios como a grelina e a leptina, responsáveis pela fome e pela saciedade.

 

A gestação e o pós-parto também merecem atenção. Durante a gravidez, existe uma tendência à baixa qualidade do sono, que pode resultar em um quadro de fragmentação e sonolência, em parte pelo desconforto causado aumento do volume abdominal, ou pelo aumento das idas ao banheiro. Já no período pós-parto, pode haver um déficit de sono em função da nova rotina e das demandas do recém-nascido.

 

Todas essas disfunções devem ser relatadas ao médico. A medicina possui tratamentos eficazes para preservar o sono e a saúde da mulher.

 

Mulheres precisam dormir mais que homens

 

Irritação, mau humor, estresse psicológico, depressão, raiva e sensações de angústia são alguns efeitos de uma noite mal dormida. E o sexo feminino está muito mais sensível a esses efeitos. Além disso, devido às suas conexões cerebrais próprias, as mulheres conseguem realizar diferentes atividades ao mesmo tempo, o que exige que o cérebro delas trabalhe muito durante o dia. Por isso, elas precisam de cerca de 20 minutos a mais de sono do que os homens.

 

Outro fator importante foi descoberto pelo Instituto do Sono com o Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Paulo. As mulheres levam mais tempo para pegar no sono, enquanto seus parceiros dormem rapidamente ao se deitar. A dificuldade para dormir acontece devido aos hormônios como a progesterona, que tem papel fundamental nos mecanismos reguladores do sono.

 

Dormir pouco afeta a saúde da mulher

 

Segundo a Faculdade de Medicina de Warwick, na Inglaterra, mulheres que dormem pouco são mais propensas a sofrer de aumento da pressão arterial. Isso acontece porque durante o sono, a pressão cai naturalmente, devido à redução das atividades do organismo. Consequentemente, passar mais tempo acordada do que o ideal faz com que o corpo tenha de lidar com a pressão arterial elevada durante mais horas por dia.
Além disso, é durante o sono que acontece a regulação dos níveis hormonais. Por isso, mulheres que dormem mal correm mais riscos de serem obesas, pois as substâncias que afetam o apetite sofrem alterações. Mulheres que dormem menos do que seis horas por noite consomem, em média, 329 calorias diárias a mais do que as que descansam mais tempo.

 

O sono da beleza

 

A expressão “sono da beleza” é totalmente verdade! Já sabemos que quando dormimos pouco, o corpo produz hormônios associados ao estresse, alterando as funções do organismo e causando uma aparência de palidez e cansaço. Dormir pouco deixa a pele sem brilho e aumenta rugas e olheiras. Também é durante o sono que a musculatura da face descansa, colaborando para uma aparência muito mais saudável.

 

Cuidando da saúde através do sono

 

Para que a aparência e a saúde não sejam afetadas, recomenda-se uma noite de sono de, pelo menos, sete a oito horas. Além disso, é importante lembrar que uma boa noite de sono não se refere apenas a quantidade de horas dormidas, mas também a qualidade delas.

 

Para dormir bem, prepare um ambiente escuro, silencioso e com uma temperatura agradável. Evite usar dispositivos eletrônicos e consumir bebidas e alimentos energéticos antes de deitar-se. E, se você tem dificuldades para dormir, não deixe de procurar um especialista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *